domingo, 24 de abril de 2011

Recordando...

Já publiquei aqui este texto, na Páscoa de 2008, quando eu ainda escrevia com certa frequência. Hoje, dia de Páscoa, pouco antes de sair para o almoço na casa da vovó (lá onde mora a cristaleira dessa história), reencontrei-o por acaso, pesquisando outros documentos nas minhas pastas.
Reli e ainda gosto dele. E agora, com FaceBook, o exto vai chegar mais longe! ;)

Feliz e Santa Páscoa a todos!

*

Páscoa

As crianças passavam a Semana Santa observando o movimento dos ovos que chegavam. Era a mãe, vinda do supermercado, a sacola cheia de ovos de chocolates. O pai que trazia e levava caixas de bombons para o trabalho. A madrinha que aparecia, depois de tanto tempo, com um beijo e um chocolate para cada um. E vovó com os coelhinhos. E tios e primos e amigos e chocolates.

E a grande cristaleira de madeira, no meio da sala, cada vez maior e mais gorda.

As crianças esqueciam dos brinquedos e sentavam-se diante dela. Acompanhavam, maravilhados, o milagre dos chocolates que chegavam continuamente.

-Um, dois, três...
-Tem mais um aqui.
-Mamãe pôs mais um hj à tarde.

E contavam e recontavam chocolates. A chave guardada no bolso da mãe, os olhinhos doces implorando em silêncio.
Não tinham permissão para provar nem unzinho antes da Páscoa. Na Semana Santa não havia cristão que convencesse mamãe a liberar chocolates. 
Não, meus filhos! Um pequeno sacrifício: Jesus morreu na Cruz por nós!

E as crianças observavam a enorme cristaleira no meio da sala e perguntavam-se pq é q Jesus foi morrer justo na semana em que chegavam os chocolates. Lá fora o som da matraca, trac-trac-trac, vigiava severamente as crianças. 
E  não fosse o silêncio e não fosse a matraca e não fosse o milagre dos ovos que chegavam e o pequeno sacrifício de apenas observá-los dentro da cristaleira, as crianças provavelmente jamais lembrariam do sublime milagre de um Deus que todos os dias oferece-se em sacrifício.

Até que a matraca cessa.
Até que se acendem as velas na igreja escura.
Até que o coral entoa Aleluias.
E mamãe entrega a chave ao menino mais velho. E abre-se a porta.

-Aleluia! Nosso Senhor ressuscitou!- uma a uma, as crianças repetem a frase cuidadosamente ensinada pelo pai.
-Verdadeiramente ressuscitou!- responde o menino mais velho, uma, duas, três vezes, entregando os ovos aos irmãos, orgulhoso de sua responsabilidade.

E aquela cristaleira, vazia como o sepulcro de Nosso Senhor ressuscitado ensinava às criancinhas a verdadeira alegria da Páscoa.

3:57

Não tenho sono.
É madrugada de Páscoa, o galo canta.
Lá fora faz calor, aqui faz frio.
Eu sempre soube que depois q casasse teria um ar condicionado.

Fiz um pavê para o almoço pascal.
Há louça (muita!) na pia para lavar.
E roupa para tirar da corda
e passar
e guardar no armário.

Mas eu não costumo passar roupa, mesmo.
(nem guardar no armário)

Há um (uns) livro para ler na sala.
E trabalhos a fazer
E provas a corrigir

E eu aqui redescobrindo que sem escrever, me esqueço.
Ai, quem era aquela menina de laço lilás na cabeça?

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

A Reforma

Parte I - O banheiro

Temos um lugar para morar! Ufa!
A boa notícia foi seguida de uma visita ao local - e faltavam então cerca de 15 dias para o casamento. Foi uma visita assustadora (parecia cenário de filme de suspense antigo), acompanhada por ideias mirabolantes.

Primeira ideia mirabolante: transformar o banheiro!

 



Um mimo de banheiro, hm?!
Pois bem, vai todo abaixo, exclamamos no auge do entusiasmo! 



  


E foi todo abaixo! Pânico total!
O pedreiro que tínhamos não sabia trabalhar com o material q nossa ideia mirabolante queria. Pior: só soubemos q ele não sabia utilizar o material quando vimos alguns estragos. 
Dispensado aquele, encontramos o seu Amaury. Faltava uma semana! 
Imploramos ao seu Amaury q tivesse piedade dos pobres noivos, q casavam dali a 7 dias e não tinham banheiro! Ai! 
Ele teve piedade, foi o pedreiro mais rápido q passou por aqui. Em uma semana - incluindo o domingo do casamento - estava feito. :) 





Felizes, felizes com nosso banheiro! ^^

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Onde me encontrar

Não sei se alguém quer saber aonde foi a professora, que sumiu assim tão completamente desde que casou.
Descobri recentemente que é possível ver as "estatísticas"do blog e (ohh, surpresa!) recebi mais de 50 visitas este mês. Alguém cai aqui, nem q seja por acaso...

Peço mil desculpas (as de sempre) e aproveito para explicar que não estou de toda sumida, não. A professora, revoltada (feio isso!) com a situação de suas cordas vocais, começa a pensar em acompanhar seu fotógrafo predileto em suas aventuras fotográficas.

Enquanto não joga o magistério para o alto (para ver aonde ele cai), a professora atualiza, modifica e monitora este espaço: www.fabiomorofotografia.com

Visite-nos, comente, deixe-se fotografar! ;)

sábado, 11 de setembro de 2010

Alunos e fendas

É.
Fenda triangular posterior média com bordos livres irregulares bilateralmente.
Tá.
E por isso, a professora ganhou um INAPTA para assumir o cargo de professor de português. Bonito.

Sim, tenho um tempinho para tentar me recuperar, com exercícios de fono. Mas é um pouquinho chato, humilhante, decepcionante, constrangedor, amargo, desolador e por aí vai, qd te dizem que, sentimos muito, vc está inapta, faça uns exercícios, quem sabe melhora... Só um pouquinho.

Passei os últimos dias muito, muito aborrecida. Muito.
Um aborrecida de tamanho GG.

Andei pensando em largar tudo. Essas salas de aula cheias de criancinhas pouco educadas que gritam pensando que falam, batem pensando que abraçam. Com mães e pais que pensam que a educação é minha parte, nas poucas horas que passo com eles. Que pensam q cabe às professoras tirar da boca deles todos os palavrões que ouvem durante o dia. E pra quê?

Pra q continuar nisso, se no fim eles não aprendem nada, se no fim a culpa é da professora, se no fim suas cordas vocais têm bordos livres irregulares e vc não pode ser professora de português, embora isso não constasse no edital do concurso?

...

Tudo isso passa qd uma ex-aluna te adiciona no msn. Tem 12 anos, e foi alfabetizada por mim aos 6. Escreve no msn como uma mocinha e com exceção das vírgulas, está tudo certinho.

E ela tem saudades da professora. :)

Nem todos os alunos são assim, nem todos escrevem direitinho, nem todos nos fazem felizes. Mas eu precisava disso hj.

Que se danem as fendas triangulares posteriores médias com bordos livres irregulares!!!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Em mudança

Conforme anunciado há muito tempo, mudei tudo. E continuo mudando.
Não sei se está bom, estou estranhando tudo! :/
Tbm não sei qual a intenção, a priori só arejar a casa, abrir a janela, lavar as cortinas... Ainda não achei um layout realmente bom. Muito difícil, sempre.
Estou achando muito poluído... Vcs tbm?

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Casei - 1 mês

Casei e os alunos e amigos foram todos ao casamento. :)
Fiquei muito feliz com cada pedacinho da cerimônia e da recepção - e ainda estou muito, muito feliz!
Há fotos no Orkut e no facebook (agora estou lá tbm), mas ponho aqui para q fique registrado, como é de costume.

Pura alegria

O quadro-negro da professora


Sapatinhos de cristal